Consumidor do futuro 2023 — conheça os quatro tipos.

Depois de um período de instabilidade, incerteza e dificuldades, recentemente começamos a procurar novas oportunidades de nos reinventarmos, seja no âmbito pessoal ou profissional. Em 2020 começamos entender a ampliação da conectividade digital como maneira de sobrevivência, o mundo digital se tornou a maneira como passamos a experimentar a vida e, para muitos, o único contato com o mundo lá fora, com os amigos e com o trabalho. Graças às novas vacinas, agora é possível olhar para a pandemia com um olhar um pouco mais otimista e com expectativa de retomada (pelo menos parcial) de atividades coletivas que deixamos para trás há um ano, para, assim, imaginarmos novas perspectivas para o mercado.

Baseado em uma pesquisa da WGSN, a maior responsável por rastrear, detectar e prever as mudanças e as tendências do futuro, a partir de 2022 os novos consumidores buscarão:

  • Experiências de varejo simplificadas;
  • Compras tranquilas;
  • Relacionamento transparente com as marcas;
  • Busca por momentos de alegria;
  • Redefinição da rotina global agitada;
  • Necessidade de interação humana acima de tudo;

Isso é reflexo também da maneira como as duas maiores gerações consumidoras absorvem o conteúdo digital: os millenials costumam ser mais resilientes, enquanto a geração Z tende pela fluidez, o que reflete na maneira rápida que compram tendências, leem notícias, compartilham publicações e buscam sempre estarem por dentro das novidades de todos os setores. Essa rapidez de informação reflete em trends cada vez mais rápidas e aceleração no consumo de informações, causando uma reação em cadeia onde o mercado tende a produzir para acompanhar os consumidores.

Devido ao maior uso das tecnologias, diversos processos que eram previstos para acontecerem nos próximos dez anos se aceleraram, incluindo os hábitos de consumo, a criação de tendências de mercado, as estratégias de lançamento das coleções e a elaboração da comunicação das marcas. Com essa nova maneira rápida de consumir, é necessário entendermos melhor quem são esses consumidores, como eles pretendem encarar esse novo momento pós-pandêmico e como mantê-los interessados. Além de 2022 e entrando em 2023, a WGSN fez uma lista dos quatro tipos de novos consumidores, que são:

  • Antecipadores: afetados pela fadiga emocional e econômica, esse grupo procura cautela, estabilidade e segurança.
  • Novos Românticos: fugindo das áreas urbanas em direção às áreas rurais, esse grupo está redefinindo o conceito de coletivos comunitários em busca de conexões reais.
  • Inconformados: estimulados pela indignação de 2020, esse grupo é ativista e usa a tecnologia a fim de reconstruir o mundo, com foco na diversidade e nas comunidades.
  • Condutores: movidos pela resiliência, esse grupo é flexível, multidimensional, multitalentoso e aptos das multitarefas, sem medo de arriscar em novas experiências e sentidos.

Estratégias para conquistá-los:

  • Antecipadores: invista em inovações do varejo, como assinaturas, vendas antecipadas, vendas sob demanda, lançamentos semanais, novos modelos de descontos e programas de fidelidade.
  • Novos Românticos: desenvolva produtos, serviços e iniciativas que estimulem a criação de laços emocionais com o mundo exterior, use materiais naturais, crie produtos sustentáveis e ofereça experiências sensoriais, que estimulam e ampliam o bem-estar.
  • Inconformados: invista em progresso contínuo e mudanças a longo prazo; desenvolva produtos transculturais, com uma cadeia de produção ética, transparente e com vendas diretas ao consumidor.
  • Condutores: explore novas experiências e aventuras alternativas, como o varejo gamificado, as iniciativas de metaverso e os espaços digitais interativos, onde o consumidor pode se comunicar, se divertir, aprender e comprar.

Com um mundo mudado, espaço para o otimismo e mente aberta, é possível abrir novos caminhos com responsabilidade, inovação e estratégia. O que acha?

#design #tecnologia #comunicação

#design #tecnologia #comunicação